Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

O problema da democracia no partido de massas

ptsv

Se compararmos esta imagem, do manifesto de fundação do Partido dos Trabalhadores, então guarda-chuva reformista radical e anti-estalinista, com o tipo de polêmica e participação do partido de governo nos tempos que correm, teremos de dar razão aos conservadores que pregam ser a oligarquização partidária um fenômeno recorrente e sem freios. O partido de massas eleitoral compete por protagonismo para com o movimento popular e sua independência de classe.

04 de agosto de 2011, da Vila Setembrina, Bruno Lima Rocha

A polêmica que se dá na interna do Partido dos Trabalhadores, a respeito do problema de filiação em massa e dos possíveis filtros necessários (ou não), para ascender na representação partidária reflete um tema de controle político. Não se trata absolutamente de problema novo. Sempre foi tensa a relação entre massificar o número de filiados e qualificar a participação política. Tentar impor etapas de formação antes de garantir plenos direitos e deveres pode ser visto como uma possível barreira para novos adeptos.

Para um partido como o PT, que em sua origem se organiza como um guarda-chuva de correntes de esquerda anti-estalinistas, a filiação direta sempre se contrapôs ao poder das tendências internas e suas massas críticas organizadas. Na prática, está em jogo o ato de premiar a militância orgânica e com formação política ou fortalecer o papel de dirigentes, reforçando o conceito de oligarquias partidárias.

enviar •
imprimir •

Trata-se de um paradoxo. O aumento dos membros nominais de um partido não implica em nenhuma garantia de engajamento, é justo o contrário. Considerando o senso comum como uma negociação permanente entre a sobrevivência e a condensação das idéias dominantes, temos um problema de doutrina político-partidária. A presença de membros plenos de direitos e deveres, mas que não são capacitados a atuar em nome do coletivo ao qual pertencem, abrem um flanco muito perigoso. Essa maioria despolitizada facilita a reprodução dos piores aspectos da cultura política brasileira, como o caciquismo, patrimonialismo, clientelismo e fisiologismo. De tão forte, o fenômeno ganhou uma denominação de uso comum na militância. Massa mobilizada sem politização é chamada de “boiada”. Triste notícia, a prática é antiga.

Evitar a conformação de “boiadas” deveria ser preocupação permanente, ao menos das esquerdas (em sentido amplo) existentes no Brasil. Ao contrário do que possa parecer, aumentar a participação é inversamente proporcional ao ingresso de membros sem condição de militância. O militante tem de ser alguém minimamente dotado de informação e conceitos de modo que possa emitir opinião e posicionar-se a respeito de temas de envergadura, tanto para a conjuntura como para as instâncias internas da organização. É uma equação simples. Não havendo militância, a vida partidária se esvazia e prevalece a lógica da concorrência eleitoral e a simples partilha de cargos e poder.

Quando a maioria que ingressa é pouco ou nada politizada, os mandos pertencerão aos dirigentes de sempre.

 

Este artigo foi originalmente publicado no blog do jornalista Ricardo Noblat






« voltar