Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna do Rádio

Contenido Original en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Equipe

Fale Conosco

História Pampeana

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial
















































Pensamento Libertário •
as bases do pensamento, doutrina e teoria política da democracia radical com a igualdade social •
Uma resposta para as críticas senderistas/maoístas e sua campanha de desinformação contra Abdullah Ocallan

Ocallan Books

Nesta obra publicada em espanhol e facilmente obtida através da internet, Abdullah Ocallan condensa as bases de pensamento do Confederalismo Democrático e isola qualquer possibilidade de desinformação ou manipulação de ideias.

3 de março de 2015, Bruno Lima Rocha -  Introdução ao texto de defesa do pensamento de Abdullah Ocallan
Antes de iniciar cabe uma reflexão. Entendo que este portal e os perfis que o espelham em redes sociais não formam necessariamente um espaço apropriado para o debate de tipo corrente política. E, tampouco o tipo de leitor@s que temos não é exclusivamente militante e nem de esquerda engajado. Talvez a virtude deste portal (e perfis) seja justamente esta, dar um tratamento analítico e linguagem jornalística para temas de fundos bem ásperos. 


ler •
enviar •



Original Content in English •
Interview about Rojava – Topics for Debate: Questions about the Strategic Scope – an interview with PYD officials

plus.google

A mass demonstration showing people’s support for social change in Rojava

Posted on March 01, 2015 – Bruno Lima Rocha

 

[Editor’s Note, Conjuncture Magazine: A dear friend and supporter of ours from Brazil, Dr. Bruno Lima Rocha, established contact with a series of organizations involved in the social revolution taking place in Kurdistan. Mainstream media sources have largely failed to cover the social process, though news has been able to break the radio silence. This is the second interview we publish in this series. It should also be said that minor grammatical errors were corrected (as neither participant in the interview is native to English). But most is left in the original form, for fear of losing accuarcy.]

 

Introduction: Since the Kobani siege started I have been dedicating several hours per week to understand and divulgate as much as possible about this social revolution, initiated in a combination of Democratic Confederalism and the Syrian civil war. As a militant, I always have been involved in international solidarity. As an Arab descendant, I always have been trying to find a reliable left-wing force combining direct action and internal democracy.

 

As a scholar and a professor of geopolitics, studying the region for more than 25 years, Rojava is a dream coming true. Here I start the first of some interviews with organizations that have real experience in this process and on the ground. In this interview, I was lucky to get information from PYD (Democratic Union Party) officials, women and men concerned with building a new society in Western Kurdistan in the middle of the Syrian and Iraq civil war.


ler •
enviar •



Artigos •
para jornal, revistas e outras mídias •
Uma breve reflexão a respeito da Venezuela à beira de um ataque de nervos

cnn.mexico

Em 18 de fevereiro, o líder opositor Leopoldo López se entregou para a Guarda Nacional que opera na Grande Caracas. López, Ledesma e Borges formam a linha de frente da direita mais alinhada aos intentos de golpe contra o governo de Nicolás Maduro na Venezuela.

23 de fevereiro de 2015, Bruno Lima Rocha

 

Com este texto em português espero começar uma série de reflexões que culminem com uma análise de maior fôlego. Aqui, de forma acelerada, aponto alguns tópicos para debate.

 

1) O presidente Nicolás Maduro foi eleito, reconhecidamente eleito. Foi por margem apertada mas foi; foi através do legado político de Chávez e com o controle de máquina do governo nacional, mas foi. Na constituição da Venezuela, a bolivariana, há um mecanismo que habilita ao referendo revogatório com cerca de 20% de assinaturas de eleitores válidos. Ou seja, se a defesa da "democracia" é a meta da direita venezuelana, então há uma forma institucionalizada para realizar esse recâmbio de poder.


ler •
enviar •



Original Content in English •
Bridges between anarchism and democratic confederalism

pinterest.com

Kurdish female fighters and mujeres libres do have many coincidences in their forms of organization and strategic goals to be achieved.

Bruno Lima Rocha, February 19th 2015

 

Introduction: discussing the party model and mission – 1  

 

Since the beginning of the Kobane siege by Daesh (ISIS) the Kurdish left, and specifically the Rojava model of social organisation has been studied and followed by several organisations, activists, networks and committed scholars. I decided to collaborate with KurdishQuestion.com to produce a series of short articles to expose (and prove) the similarities between the western (and not western too) anarchist tradition and democratic confederalism. While one of my concentrated areas of study is political theory (and radical political theory), I decided to help in drawing the parallels between both paths and familiarising them to one another. I hope this will help and all criticisms are welcome.

 


ler •
enviar •



Artigos •
para jornal, revistas e outras mídias •
Análise da crise da Petrobrás e a agenda do 3º turno não concluído

sindibancarios

Os trabalhadores da Petrobrás, em todas as funções, são a única saída para retomada do controle da empresa e a defesa dos interesses coletivos do povo brasileiro.

14 de fevereiro de 2015 – Bruno Lima Rocha

 

Diante do quadro complexo da maior empresa do Brasil, entendo ser necessária a produção de uma análise com maior profundidade, para além das posições de defesa e ataque do governo de turno. Este texto começo no ponto em que a direção da Petrobrás pedira renúncia e o “mercado”, sua mídia oficiosa e os algozes do desenvolvimentismo (de qualquer tipo) se juntaram para comemorar a possibilidade de vitória à frente da petroleira nacional. 


ler •
enviar •



Pensamento Libertário •
as bases do pensamento, doutrina e teoria política da democracia radical com a igualdade social •
Uma entrevista com um militante do DAF sobre a solidariedade pelo processo social em Rojava (a versão original em inglês foi concluída em 09 de janeiro de 2015)

autogestão.org

A militância do DAF é parte ativa nos esforços de solidariedade a Kobane e compõem um amplo leque de alianças vinculado ao projeto sócio-político do KCK dentro do território do Estado Turco.

Introdução, por Bruno Lima Rocha: Desde que começou o cerco à Kobanê tenho dedicado várias horas por semana a entender e divulgar o máximo possível sobre essa revolução social iniciada numa combinação de Confederalismo Democrático e a Guerra Civil Síria. Enquanto militante, eu sempre estive envolvido com solidariedade internacional. Enquanto descendente árabe, eu sempre tentei procurar uma força de esquerda que combinasse ação direta e democracia interna. Enquanto acadêmico e professor de Geopolítica estudando a região por mais de 25 anos, Rojava é um sonho que se tornou realidade. Aqui eu começo a primeira de algumas entrevistas com organizações com real experiência nesse processo e na região. Nesta estou conversando com o Devrimci Anarşist Faaliyet (DAF, ou Ação Revolucionária Anarquista). Eles têm sido bem ativos nessa ação e entendem em detalhes todo o processo Curdo, tanto em Rojava quanto no interior das fronteiras do Estado Turco.


ler •
enviar •



Artigos •
para jornal, revistas e outras mídias •
Eduardo Cunha e o enigma da base aliada

foto de Givaldo Barbosa para O Globo, localizada em pragmatismo político

Em momento de júbilo a base quase-aliada comemora a vitória do semi-desafeto e opositor circunstancial do Planalto lulista, o deputado federal pelo PMDB fluminense, Eduardo Cunha.

03 de fevereiro de 2015, Bruno Lima Rocha

 

Para anunciar a vitória de Eduardo Cunha na eleição para a Presidência da mesa da Câmara, tomo como referência matéria de O Globo (dos repórteres Filipe Matoso e Nathalia Passarinho, com a última atualização de 02/02/2015) apenas para provocar, já que o governo de centro-direita tem uma inimizade tática com os grupos hegemônicos de mídia, estabelecendo a divisão do campo da comunicação em escala industrial em PIG1 e PIG2. Na sequência, avaliamos ainda o perene 3º turno, onde quem ganhara na urna prometendo o que jamais cumpriria, foi encurtando seu próprio espaço de manobras.


ler •
enviar •



Artigos •
para jornal, revistas e outras mídias •
Entrevista realizada para o Portal Eptic – Rede de Economia Política da Informação, Comunicação e Cultura - 27 de janeiro de 2015

geocities.ws

Pendurado no céu ou na brocha como diz a gíria do meio, as hipotecas subprimes formaram a base da farsa com nome de crise

Vitória do Syriza na Grécia, com “Mercado” temendo pelo não cumprimento dos acordos e pagamentos frente à “crise” instalada na Europa; e medidas econômicas em prol deste mesmo “Mercado” no Brasil. 2015 começou com a economia marcando espaço importante nas pautas jornalísticas. Mas até que ponto sabemos quem é quem em meio a matérias sobre aumento de taxas de juros, superávit primário, dívida externa, austeridade, etc.?

 

Para nos ajudar a decifrar um pouco do porquê somos tão desinformados pela grande mídia e da participação da informação na fase financeiro do sistema capitalista, o Portal EPTIC entrevistou o coordenador do Núcleo Interdisciplinar de Estudos da Globalização Transnacional e da Cultura do Capitalismo (NIEG-CEPOS), Bruno Lima Rocha.

 


ler •
enviar •



cadastre-se para receber nossa newsletter

  • nome:
  • e-mail:

13456 assinantes



Teoria •
texto no formato acadêmico •

Tomando posição: uma análise política da I Conferência Nacional de Comunicação (Confecom)

Valério Cruz Brittos
Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Unisinos, pesquisador do CNPq, coordenador do grupo de pesquisa Comunicação, Economia Política e Sociedade - Cepos e vice-presidente da Unión Latina de Economía Política de la Información, la Comunicación y la Cultura (Ulepicc-Federación).
val.bri@terra.com.br

Bruno Lima Rocha
Professor no curso de Comunicação Social da Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos, doutor em Ciência Política pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, pesquisador do grupo de pesquisa Comunicação, Economia Política e Sociedade - Cepos e vogal da Ulepicc-BR.
blimarocha@gmail.com

Paola Madeira Nazário
Pesquisadora do grupo de pesquisa Comunicação, Economia Política e Sociedade – Cepos e mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos. madeira_nazario@hotmail.com

Resumo
Este artigo traz discussões sobre a posição adotada por alguns setores da sociedade e da política, no que tange à sua participação nos debates em torno dos movimentos em prol da democratização da comunicação e das políticas públicas para o setor, a partir da análise da I Conferência Nacional de Comunicação (Confecom), bem como a falta de midiatização que essa campanha obteve. Sendo assim, o texto cruza os mais diferentes caminhos e perspectivas, passando pela correlação de forças e poder e chegando até os interesses envolvidos, adotando como pano de fundo o surgimento do processo de digitalização da televisão brasileira e a estruturação da TV pública a partir de uma aplicativa teórica e metodológica da Economia Política da Comunicação (EPC). Reconhecendo a possibilidade de um variável número de interpretações, o trabalho vai focar sua análise não apenas em busca de respostas, mas, também, na construção de perguntas pertinentes, que possam ir ao encontro dos objetivos traçados neste trabalho.

Palavras-chave
economia política da Comunicação; políticas Públicas de Comunicação; digitalização; TV pública; Confecom


ler •
enviar •

Teoria •
texto no formato acadêmico •

Comunicação, conferência e pauta de democratização

Valério Cruz Brittos, Bruno Lima Rocha e Paola Madeira Nazário

Professor titular no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Professor no Curso de Comunicação Social da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), doutor em Ciência Política pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Comunicação, Economia Política e Sociedade – CEPOS (apoiado pela Ford Foundation) e mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS).

Resumo

Entre os dias 14 e 17 de dezembro de 2009, em Brasília, delegados estaduais representando movimentos populares, o Estado em distintos níveis de governo e parcelas dos agentes econômicos do setor, discutiram a comunicação social brasileira em uma instância não vinculante, a 1ª Conferência Nacional de Comunicação. Trata-se de fato inédito, porém, o tema passou despercebido pela maior parte dos cidadãos. O texto debate tanto esta ausência como analisa a influência advinda da reprodução do modo de financiamento baseado na publicidade das empresas de comunicação e suas conseqüências. Analisa também questões fundamentais para estabelecer alguma paridade no contexto brasileiro, envolvendo o debate do sistema privado, público-estatal e público não-estatal. Utiliza-se como aporte teórico-metodológico a Economia Política de Comunicação (EPC), pois, a partir dessa perspectiva é possível analisar e compreender lógicas do mercado, bem como a regulação promovida por parte do Estado, e a movimentação entre os diversos setores da sociedade.

 

Palavras-chave: Conferência Nacional de Comunicação – Economia Política da Comunicação – regulação – sistemas de Comunicação Social – movimentos populares.


ler •
enviar •

Coluna do Rádio •
Opinião falada sem meias palavras •
Análise Internacional: acompanhando a Revolução de Rojava

Coluna Análise Internacional para o Jornal dos Trabalhadores da rádio da Rede Abraço-RS – 03 de março de 2015.

Faça o download neste link: migre.me/oRv9i



O ato da Federação Única dos Petroleiros e a crise na Petrobras

Em entrevista ao programa Contraponto (26.02.2015), o cientista político Bruno Lima Rocha comenta o ato da Federação Única dos Petroleiros e a crise na Petrobras.

O programa Contraponto vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30min, podendo ser ouvido – ao vivo – pelo www.radiocom.org.br

Para fazer download da entrevista clique neste link: migre.me/oMIDY



A crise política no Brasil

Em entrevista ao programa Contraponto (19.02.2015), o cientista político Bruno Lima Rocha comenta a crise política no Brasil.

O programa Contraponto vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30min, podendo ser ouvido – ao vivo – pelo www.radiocom.org.br

Para fazer download da entrevista clique neste link: migre.me/oG3lr



A crise na Petrobras

Em entrevista ao programa Contraponto (12.02.2015), o cientista político Bruno Lima Rocha comenta a crise na Petrobras.

O programa Contraponto vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30min, podendo ser ouvido – ao vivo – pelo www.radiocom.org.br

Para fazer download da entrevista clique neste link: migre.me/oA7e1



A eleição do Eduardo Cunha para a presidência da mesa na Câmara dos Deputados Federais

Em entrevista ao programa Contraponto (05.02.2015), o cientista político Bruno Lima Rocha comenta a eleição do Eduardo Cunha para a presidência da mesa na Câmara dos Deputados Federais.

O programa Contraponto vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30min, podendo ser ouvido – ao vivo – pelo www.radiocom.org.br

Para fazer download da entrevista clique neste link: migre.me/ovxim



Nova alta na Taxa Selic e o austericídio a caminho no governo do Copom

Em entrevista ao programa Contraponto (23.01.2015), o cientista político Bruno Lima Rocha comenta a nova alta na Taxa Selic e o autericídio a caminho no governo do Copom.

O programa Contraponto vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30min, podendo ser ouvido – ao vivo – pelo www.radiocom.org.br

Para fazer download da entrevista clique neste link: migre.me/oiNXc



A islamofobia na Europa

Em entrevista ao programa Contraponto (15.01.2015), o cientista político Bruno Lima Rocha comenta a islamofobia na Europa

O programa Contraponto vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30min, podendo ser ouvido – ao vivo – pelo www.radiocom.org.br

Para fazer download da entrevista clique neste link: migre.me/o8TAq



O atentado contra o jornal Charlie Hebdo

Em entrevista ao programa Contraponto (08.01.2015), o cientista político Bruno Lima Rocha comenta o atentado contra o jornal Charlie Hebdo.

O programa Contraponto vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30min, podendo ser ouvido – ao vivo – pelo www.radiocom.org.br

Para fazer download da entrevista clique neste link: migre.me/o23QV



As relações comerciais entre Estados Unidos e Cuba

Em entrevista ao programa Contraponto (18.12.2014), o cientista político Bruno Lima Rocha comenta as relações comerciais entre Estados Unidos e Cuba.

 O programa Contraponto vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30min, podendo ser ouvido – ao vivo – pelo www.radiocom.org.br

Para fazer download da entrevista clique neste link: migre.me/nAEy0



A entrega do relatório final da Comissão Nacional da Verdade

Em entrevista ao programa Contraponto (11.12.2014), o cientista político Bruno Lima Rocha comenta a entrega do relatório final da Comissão Nacional da Verdade

 O programa Contraponto vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30min, podendo ser ouvido – ao vivo – pelo www.radiocom.org.br

Para fazer download da entrevista clique neste link: migre.me/nrC68



A economia política dos banqueiros

Em entrevista ao programa Contraponto (04.12.2014), o cientista político Bruno Lima Rocha comenta a economia política dos banqueiros.

 O programa Contraponto vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30min, podendo ser ouvido – ao vivo – pelo www.radiocom.org.br

Para fazer download da entrevista clique neste link: migre.me/nkWwH



O debate sobre o terceiro turno

Em entrevista ao programa Contraponto (27.11.2014), o cientista político Bruno Lima Rocha dá sequência ao debate sobre o terceiro turno.

 O programa Contraponto vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30min, podendo ser ouvido – ao vivo – pelo www.radiocom.org.br

Para fazer download da entrevista clique neste link: migre.me/n970i



A operação lava jato

Em entrevista ao programa Contraponto (20.11.2014), o cientista político Bruno Lima Rocha comenta sobre a operação lava jato.

O programa Contraponto vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30min, podendo ser ouvido – ao vivo – pelo www.radiocom.org.br

Para fazer download da entrevista clique neste link: migre.me/n1lXj



O atual mapa político do Brasil

Em entrevista ao programa Contraponto (06.11.2014), o cientista político Bruno Lima Rocha comenta o atual mapa político do Brasil.

O comentário também rende homenagem póstuma para Miguel Guaglianone, Róbson Achiamé e Leandro Konder.

O programa Contraponto vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30min, podendo ser ouvido – ao vivo – pelo www.radiocom.org.br

Para fazer download da entrevista clique neste link: migre.me/mPdnS



Manifestações contra a reeleição da presidenta Dilma Rousseff e a “venezuelização” do Brasil

Em entrevista ao programa Contraponto (06.11.2014), o cientista político Bruno Lima Rocha comenta as manifestações contra a reeleição da presidenta Dilma Rousseff e a “venezuelização” do Brasil.

O programa Contraponto vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30min, podendo ser ouvido - ao vivo - pelo www.radiocom.org.br

Para fazer download da entrevista clique neste link: migre.me/mH64x



A reeleição de Dilma Rousseff e a estratégia de governo para a direita

Em entrevista ao programa Contraponto (30.10.2014), o cientista político Bruno Lima Rocha comenta a reeleição de Dilma Rousseff e a estratégia de governo para a direita.

O programa Contraponto vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30min, podendo ser ouvido - ao vivo - pelo www.radiocom.org.br

Para fazer download da entrevista clique neste link: migre.me/mA8OF



Prévia do panorama eleitoral no segundo turno

Em entrevista ao programa Contraponto (23.10.2014), o cientista político Bruno Lima Rocha faz uma prévia do panorama eleitoral no segundo turno.

O programa Contraponto vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30min, podendo ser ouvido - ao vivo - pelo www.radiocom.org.br

Para fazer download da entrevista clique neste link: migre.me/mrqNU



A polarização dos eleitores no segundo turno das eleições presidenciais

Em entrevista ao programa Contraponto (16.10.2014), o Cientista Político, Bruno Lima Rocha comenta a polarização dos eleitores no segundo turno das eleições presidenciais.

O programa Contraponto vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30min, podendo ser ouvido - ao vivo - pelo www.radiocom.org.br

Para fazer download da entrevista clique neste link: migre.me/mjIE8



As eleições para além do voto e da urna

Em entrevista ao programa Contraponto (09.10.2014), o Cientista Político, Bruno Lima Rocha comenta as eleições para além do voto e da urna.

O programa Contraponto vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30min, podendo ser ouvido - ao vivo - pelo www.radiocom.org.br

Para fazer download da entrevista clique neste link: migre.me/mcu93