Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

História Pampeana

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial

















































Os ataques sofridos em escala internacional pelas empresas líderes da engenharia brasileira: uma análise por esquerda


Uma das tarefas permanentes de uma potência hegemônica é de preservar, assegurar e ampliar sua condição de exercício de hegemonia. Para tal, o hegemon, ou a Superpotência – já que a única realmente existente é os Estados Unidos – trabalha com uma lógica de antecipação, usando suas vantagens competitivas em relação a supostos rivais.

Existe uma diferença gritante entre “teoria da conspiração” e prática conspiratória. Entendo que bastam algumas observações pontuais para fazer a lógica da obviedade. O texto que segue tem as devidas ponderações legais, por isso a cautela necessária. Vale observar que ao reconhecer que houve participação do Império no golpe no Brasil, não me alinho ao lulismo, tampouco a condenáveis práticas empresariais, menos ainda ao 'batismo nos contratos' como prática regular brasileira e nem nego a condição de que agentes nacionais (domésticos) possam aplicar golpes e também contra golpes.


ler •
enviar •



Contenido en Castellano •
Cuatro proyectos de Brasil y sus relaciones con Latino América


A partir de la década de 1930, con la fase de la Industrialización por la Sustitución de Importaciones (ISI), nuestros países entraron en la aventura del desarrollo tardío, siendo que este era confundido con políticas de modernización basadas en industria, urbanización, educación masiva y agricultura de intensidad.

Si pensáramos tanto en términos geopolíticos, como en las teorías del desarrollo tardío, no encontramos específicamente las llaves de interpretación, para el proceso incompleto por el cual Brasil atraviesa. Tenemos que ir además de las reproducciones de manuales producidos en los países del centro del capitalismo, EUA, Europa y los países anglo-sajones.

 Así, partiendo de estas afirmaciones, en este breve texto de carácter ensayístico, exponemos el problema de la colonialidad de las identidades, de la colonización del poder de Estado y el sentido de pertenencia esquizofrénico que organiza las élites dirigentes y clases dominantes nacionales u operando niveles de dominio en Brasil.

Texto completo aquí: http://bit.ly/2hMELTt


ler •
enviar •




O acórdão das cloacas em Brasília: STF, Renan e a desfaçatez em rede nacional


Os passos são meio óbvios, com dois pesos e duas medidas. Os setores dominantes dão um golpe de Estado, rasgam os direitos sociais na Constituição, o Supremo se acovarda ou acoberta e agora os operadores do "direito" estão defendendo a "normalidade" institucional.

Artigo de opinião do professor de Relações Internacionais, Bruno Lima Rocha para a revista IHU-Online (Instituto Humanitas Unisinos).

"No xadrez intra-institucional, todas as posições são antipopulares e atendem aos interesses mais inconfessáveis de seus protagonistas. Não há saída ou viabilidade para o poder da maioria jogando as regras – frágeis regras – ou apostando as expectativas no comportamento dos agentes e instituições do andar de cima". 

Leia o texto completo aqui: http://bit.ly/2hEmROJ


ler •
enviar •




O Brasil avança a passos largos para o regresso. Análise de conjuntura do domingo de “protestos” das direitas brasileiras


A cerimônia quase fascista foi convocada por duas franquias de empresas de marketing digital, Movimento Brasil Livre (MBL) e Vem Pra Rua, além da rede de saudosistas da ditadura, estimuladas pela família Bolsonaro.

Artigo de opinião do professor de Relações Internacionais, Bruno Lima Rocha para a revista IHU-Online (Instituto Humanitas Unisinos).

“Embora convoquem para o mesmo dia e local, não há unidade nas direitas cibernéticas. O viralatismo tem representações várias, sendo que a mais leal destas está concentrada na Força Tarefa da Lava Jato, cujo objetivo estratégico fora alcançado: quebrar a Petrobrás e romper com o oligopólio "nacional" das empresas de construção pesada e conglomerados econômicos complexos como a Odebrecht. A conta é de chegada e não é bonita”, escreve Bruno Lima Rocha,  professor de ciência política e de relações internacionais.

Leia o artigo completo aqui: http://bit.ly/2fZZDXj


ler •
enviar •



Contenido en Castellano •
Trump electo y los EEUU al borde de un ataque de nervios


Bruno Lima Rocha, 21 de noviembre de 2016

Trump fue elegido haciendo un discurso proteccionista defensa del empleo industrial y retorno a la prosperidad de EEUU – pero para esto, tuvo que dejar sueltos a los demonios de aquella sociedad. Todo de malo ahora está flotando. El oportunista y defraudador del fisco, ganó reforzando lo que hay de peor en los Estados Unidos. Tea Party, Klu Klux Klan, milicias armadas, grupos anti aborto, supremacistas blancos y toda una ideología de superación individual y miedo del otro. Ganó haciendo discurso racista – anti mexicano, anti latinoamericanos y misógino. Ganó un quebrador de empresas y patrón que no paga sus operarios y empleados cuando quiebra sus empresas. Ganó un idiota de la media que predicaba valores de tipo capitalista salvaje en el show de horrores como El Aprendiz.

Texto completo aquí: http://bit.ly/2g1oGoJ


ler •
enviar •




Artigo de opinião: Trump eleito e os EUA à beira de um ataque de nervos


Artigo de opinião do professor de Relações Internacionais, Bruno Lima Rocha para a revista IHU-Online (Instituto Humanitas Unisinos).

Toda pregação racista, homofóbica, xenófoba ou misógina deve ser severamente combatida. O inverso também é verdadeiro. Agora mais do que nunca, é preciso mergulhar nos valores da cultura popular dos renegados do "novo mundo", nas matrizes africanas, latino-americanas, indo-americanas, de quem vive do trabalho e dos ícones do passado.

Leia o artigo completo aqui: www.ihuonline.unisinos.br

 


ler •
enviar •




Artigo de opinião: Ocupações de escolas e universidades após o golpe branco


Artigo de opinião do professor de Relações Internacionais, Bruno Lima Rocha para a revista IHU-Online (Instituto Humanitas Unisinos).

O modelo avançou e ganhou sua maioridade no final de 2015. Esta modalidade de ocupação de escolas como defesa direta do direito social garantido na Constituição, teve sua estreia brasileira em larga escala a partir de outubro de 2015. 

Leia o artigo completo aqui: www.ihuonline.unisinos.br


ler •
enviar •




Artigo de opinião: Quatro projetos de Brasil e suas relações com a América Latina


Artigo de opinião do professor de Relações Internacionais, Bruno Lima Rocha para a revista IHU-Online (Instituto Humanitas Unisinos).

Tomando como base a dualidade metrópole-colônia e centro-periferia, vemos alguns projetos conflitivos dentro do período lulista: o entreguismo transnacional; o crescimento liberal-periférico; o desenvolvimento estratégico dentro do capitalismo e os tímidos projetos emancipatórios (mais anunciados do que realizados).

Leia o artigo completo aqui: http://www.ihuonline.unisinos.br/


ler •
enviar •



cadastre-se para receber nossa newsletter

  • nome:
  • e-mail:

13643 assinantes



Teoria •
texto no formato acadêmico •

Fernando Collor, proprietário e político: o uso da Gazeta de Alagoas como prática para o coronelismo eletrônico

Júlia Klein é jornalista graduada pela Unisinos e estudante de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda, na UFRGS.

Bruno Lima Rocha é professor do curso de Relações Internacionais da Unisinos, pesquisador do grupo Cepos e doutor
em Ciência Política pela UFRGS. 

Resumo:

Analisamos o conteúdo jornalístico praticado pelo jornal Gazeta de Alagoas, durante a cobertura de três períodos eleitorais distintos: 2002, 2006 e 2010. No estudo, Fernando Collor de Mello, proprietário do impresso que integra o maior grupo de comunicação de Alagoas, prova o uso de seu jornal como ferramenta política durante as três eleições disputadas, comprovando a parcialidade do veículo e o mau exercício do jornalismo. Na pesquisa, também abordamos como o coronelismo eletrônico mantém sua força através de alianças com os grandes conglomerados de comunicação, iniciada já durante o primeiro governo de Getúlio Vargas. 

Palavras-chave: Mídia e política; Políticas de comunicação; Radiodifusão; Oligopólio das comunicações; Conteúdo jornalístico.

 

 


ler •
enviar •

Teoria •
texto no formato acadêmico •

Tomando posição: uma análise política da I Conferência Nacional de Comunicação (Confecom)

Valério Cruz Brittos
Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Unisinos, pesquisador do CNPq, coordenador do grupo de pesquisa Comunicação, Economia Política e Sociedade - Cepos e vice-presidente da Unión Latina de Economía Política de la Información, la Comunicación y la Cultura (Ulepicc-Federación).
val.bri@terra.com.br

Bruno Lima Rocha
Professor no curso de Comunicação Social da Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos, doutor em Ciência Política pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, pesquisador do grupo de pesquisa Comunicação, Economia Política e Sociedade - Cepos e vogal da Ulepicc-BR.
blimarocha@gmail.com

Paola Madeira Nazário
Pesquisadora do grupo de pesquisa Comunicação, Economia Política e Sociedade – Cepos e mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos. madeira_nazario@hotmail.com

Resumo
Este artigo traz discussões sobre a posição adotada por alguns setores da sociedade e da política, no que tange à sua participação nos debates em torno dos movimentos em prol da democratização da comunicação e das políticas públicas para o setor, a partir da análise da I Conferência Nacional de Comunicação (Confecom), bem como a falta de midiatização que essa campanha obteve. Sendo assim, o texto cruza os mais diferentes caminhos e perspectivas, passando pela correlação de forças e poder e chegando até os interesses envolvidos, adotando como pano de fundo o surgimento do processo de digitalização da televisão brasileira e a estruturação da TV pública a partir de uma aplicativa teórica e metodológica da Economia Política da Comunicação (EPC). Reconhecendo a possibilidade de um variável número de interpretações, o trabalho vai focar sua análise não apenas em busca de respostas, mas, também, na construção de perguntas pertinentes, que possam ir ao encontro dos objetivos traçados neste trabalho.

Palavras-chave
economia política da Comunicação; políticas Públicas de Comunicação; digitalização; TV pública; Confecom


ler •
enviar •

Coluna de Rádio •
Opinião falada sem meias palavras •
Eleições equatorianas - entrevista ao programa Café Cultura - Rádio FM Cultura

21 de fevereiro de 2017 - Entrevista ao programa Café Cultura, da rádio FM Cultura (107.7)

Ouça aqui: http://bit.ly/2kZJgat



A delação da Odebrecht e a pizza do procurador geral Rodrigo Janot

27 de janeiro de 2017 - Análise de Conjuntura Política Nacional para o Jornal dos Trabalhadores, da Rede Abraço SC.

Ouça aqui: http://bit.ly/2kErkFQ



Estranhas relações no país do STF como poder moderador

26 de janeiro de 2017 - Análise de Conjuntura Política Nacional para o Jornal dos Trabalhadores, da Rede Abraço SC.

Ouça aqui: http://bit.ly/2k7WmDd



La absurda política penal en Brasil

14 de enero de 2017 - Columna de radio en castellano, del politólogo y docente de ciencia política y relaciones internacionales, Bruno Lima Rocha.

Escucha aquí: http://bit.ly/2jBTL4q



La fractura del pacto político brasileño

17 de deciembre de 2016 - Columna de radio en castellano, del politólogo y docente de ciencia política y relaciones internacionales, Bruno Lima Rocha.

Escucha aquí: http://bit.ly/2i7gunm



Os vínculos e subordinações da Força Tarefa da Lava Jato para os EUA

9 de dezembro de 2016 - Análise de Conjuntura Política Nacional para o Jornal dos Trabalhadores, da Rede Abraço SC.

Ouça aqui: http://bit.ly/2hEs9K5



El gobierno golpista de Michel Temer pierde su sexto ministro por sospecha de corrupción

26 de noviembre de 2016 - Columna de radio en castellano, del politólogo y docente de ciencia política y relaciones internacionales, Bruno Lima Rocha.

Escucha aquí: http://bit.ly/2fxOT1P



As prisões dos ex-governadores do Rio de Janeiro e as alianças de co-governo

Política Nacional para o programa Contraponto, da RadioCom, de Pelotas, RS. O programa vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30 e pode ser companhado ao vivo pelo site - www.radiocom.org.br.

Ouça aqui: http://bit.ly/2gakZws



Las ocupaciones de liceos y universidades en Brasil

04 de noviembre de 2016 - Columna de radio en castellano, del politólogo y docente de ciencia política y relaciones internacionales, Bruno Lima Rocha.

Escucha aquí: http://bit.ly/2frdox3



As eleições municipais no Brasil

28 de outubro de 2016 - Análise de Conjuntura Política Nacional para o Jornal dos Trabalhadores, da Rede Abraço SC.

Ouça aqui: http://bit.ly/2fQzY2q



A prisão de Eduardo Cunha

24 de outubro de 2016 - Análise de Conjuntura Política Nacional para o Jornal dos Trabalhadores, da Rede Abraço SC.

Ouça aqui: http://bit.ly/2fIbDgg



Columna de radio - El retiro de derechos sociales básicos de los brasileños

15 de octubre de 2016 - Columna de radio en castellano, del politólogo y docente de ciencia política y relaciones internacionales, Bruno Lima Rocha.

Escucha aquí: http://bit.ly/2dIHDLS



A consumação do golpe e a aliança entre o antigo Blocão e Centrão

Política Nacional para o programa Contraponto, da RadioCom, de Pelotas, RS. O programa vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30 e pode ser companhado ao vivo pelo site - www.radiocom.org.br.

Ouça aqui: http://bit.ly/2diffnt



Columna de radio - El bajón político brasileño después del golpe parlamentarista

08 de octubre de 2016 - Columna de radio en castellano, del politólogo y docente de ciencia política y relaciones internacionales, Bruno Lima Rocha.

Escucha aquí: http://bit.ly/2dL8bOx



O primeiro turno das eleições municipais 2016

07 de outubro de 2016 - Análise de Conjuntura Política Nacional para o programa Contraponto, da RadioCom, de Pelotas, RS. O programa vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30 e pode ser companhado ao vivo pelo site - www.radiocom.org.br.

Ouça aqui: http://bit.ly/2dPMb4h



As eleições municipais e as coligações entre PT e partidos golpistas

30 de setembro de 2016 - Análise de Conjuntura Política Nacional para o programa Contraponto, da RadioCom, de Pelotas, RS. O programa vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30 e pode ser companhado ao vivo pelo site - www.radiocom.org.br.

Ouça aqui: http://bit.ly/2dpSWug



PT: longe da esquerda e próximo dos grandes oligarcas

16 de setembro de 2016 - Análise de Conjuntura Política Nacional para o programa Contraponto, da RadioCom, de Pelotas, RS. O programa vai ao ar de segunda à sexta, às 8h30 e pode ser companhado ao vivo pelo site - www.radiocom.org.br.

Ouça aqui: http://bit.ly/2d2gl37



O pós impeachment e a convocatória "Fora Temer"

09 de setembro de 2016 - Análise de Conjuntura Política Nacional para o Jornal dos Trabalhadores, da Rede Abraço SC.

Ouça aqui: http://bit.ly/2cQXjgt



Columna de radio - La demisión del abogado general de la Unión y como cayó tirando este que fue parte de la conspiración del golpe blanco

09 de septiembre de 2016 - Columna de radio en castellano, del politólogo y docente de ciencia política y relaciones internacionales, Bruno Lima Rocha.

Escucha aquí: http://bit.ly/2cNYmBL